“Coringa” chega aos cinemas com muita ovação e polêmica

Joaquin Phoenix em cena de 'Coringa'. (Foto: Reprodução)

Na primeira vez em que foi exibido ao mundo, “Coringa” fez História ao conquistar o Leão de Ouro do tradicional Festival de Veneza. Baseado no icônico vilão da DC, o longa apresenta uma trama original, nunca antes vista na telona. Conhecido pela trilogia de comédia “Se Beber, Não Case!”, Todd Phillips assina a direção e o roteiro, este ao lado de Scott Silver. Em entrevista a um site, ele disse que a intenção era usar as histórias em quadrinhos apenas como pano de fundo, sendo o objetivo principal se aprofundar no seu protagonista. Uma de suas “fontes de consulta esporádica” no papel foi a clássica “A Piada Mortal” (1988), de Alan Moore.

Além de suas próprias lembranças, Phillips teve como inspiração a década de 1970. “Foi nessa época que, em minha opinião, foram feitos os maiores filmes de estudo de personagem”, disse o cineasta. Dentre suas referências estão obras-primas do mestre Martin Scorsese, como “Taxi Driver” (1976), “Touro Indomável” (1980) e “O Rei da Comédia” (1982). Não por acaso, Robert De Niro, astro dos mesmos, está no elenco, como um famoso apresentador de televisão e um dos ícones de Arthur Fleck. E por falar neste, chegou a hora de Joaquin Phoenix, desde já o favorito da temporada de premiações como melhor Ator, incluindo o Oscar.

“Quando recebi o convite, pensei: ‘De jeito nenhum vou fazer isso!’”, revelou. Apesar de relutante à priori, o que o fez mudar de opinião foi quando Todd Phillips apresentou a abordagem que daria para a história. Phoenix gravou, suas primeiras cenas, já caracterizado como o vilão, o que foi difícil inicialmente para achar o tom de sua interpretação. No entanto, segundo ele, tal inversão cronológica acabou o ajudando em seu processo de composição. “Dessa maneira, pude entender melhor como o palhaço vivia dentro daquele cara e como foi lentamente evoluindo até chegar ao Coringa.” Para o papel, ele ainda teve que emagrecer 20 quilos.

Uma das características marcantes do personagem é a sua risada e Joaquin fez questão de criar uma que até deixou o diretor desconfortável quando o mostrou pela primeira vez. Apesar dos elogios, a produção tem sido atacada por parte da imprensa dos EUA que a considera nociva devido aos atos de violência e suas motivações. Alguns cinemas de lá chegaram a impedir a sua exibição e outros decidiram proibir a utilização de fantasias, como máscaras, em suas sessões de pré-estreia. Numa época de polarização é possível que “Coringa” divida muito as opiniões. Se ao menos gerar um debate saudável, já valerá o status de arte.

Cena de ‘Angry Birds 2 O Filme’. (Foto: Reprodução)

Sucesso nas telas de celular, “Angry Birds” virou uma bem sucedida animação em 2016. Sua continuação estreia agora nos cinemas com a missão de manter a diversão nas alturas. Desta vez, os pássaros, liderados por Red, Chuck e Bomb (vozes de Jason Sudeikis, Josh Gad e Danny McBride, no original em inglês), e os porcos verdes, comandados por Leonardo (Bill Hader), precisam deixar as diferenças de lado para enfrentar um inimigo mais perigoso em comum. Zeta (Leslie Jones) é uma ave lilás que mora numa geleira. Cansada da natureza de seu habitat, ela decide esfriar todas as ilhas. A direção é de Thurop Van Orman, em parceira com John Rice.

Cena de ‘Ela Disse Ele Disse’. (Foto: Reprodução)

Maisa estão de volta à tela grande, mas desta vez no papel de antagonista. Baseado no livro de Thalita Rebouças, “Ela Disse, Ele Disse” acompanha os adolescentes Rosa (Duda Matte) e Leo (Marcus Bessa). Aos 14 anos, eles precisam se adaptar a uma nova realidade e fazer de tudo para sobreviver ao primeiro ano num novo colégio. Provas, amizades, bullying, crushes e até mesmo as armadilhas da internet mostram como meninos e meninas muitas vezes sentem as mesmas coisas, mas pensam e agem de maneiras diferentes. O elenco ainda conta com Maria Clara Gueiros e Fernanda Gentil. Cláudia Castro faz sua estreia como diretora.

Cena de ‘Sócrates’. (Foto: Reprodução)

Vencedor de um prêmio Spirit este ano, considerado o Oscar do cinema independente norte-americano, na categoria “Alguém para Prestar Atenção”, “Sócrates” é dirigido e coescrito por Alex Morato, filho de uma brasileira. Filmado na Baixada Santista, litoral de São Paulo, o filme acompanha o adolescente do título que após a morte prematura da mãe, precisa enfrentar, além da pobreza, a violência, o racismo e a homofobia. No papel principal, Christian Malheiros (atualmente na série “Sintonia”, da Netflix) também foi indicado ao Spirit de melhor Ator, concorrendo com nomes conhecidos como Joaquin Phoenix e Ethan Hawke.

Assim como o longa anterior, o terror nacional “O Clube dos Canibais”, de Guto Parente, é lançado em circuito limitado, com apenas uma exibição por dia. Muitos filmes permanecem em cartaz em Goiânia. Dentre eles estão: “Ad Astra – Rumo às Estrelas”, “Bacurau”, “Abominável”, “Predadores Assassinos”, “Hebe – A Estrela do Brasil”, “It – Capítulo 2”, “Rambo: Até o Fim”, “Vai Que Cola 2 – O Começo”, “Divaldo – O Mensageiro da Paz”, “Legalidade” e “Ambiente Familiar”. Antes de sair de casa, confira a programação das salas, a classificação indicativa, os horários das sessões e as datas de exibição. Faça sua escolha e divirta-se!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here