Brasil alcança apenas 64% da meta de vacinação contra febre amarela

(Foto: Rovena Rosa / Agência Brasil)

O vírus da doença começa a aumentar a área de circulação, afetando a região Sul do país, de acordo dados

Segundo dados do Ministério da Saúde, divulgados nesta quinta-feira (5), em um evento promovido pela Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm) em Fortaleza, a 21ª Jornada Nacional de Imunizações, somente 64% dos brasileiros com indicação da imunização foram, de fato, vacinados. Quase todas as regiões do País, com exceção de algumas partes do Nordeste, passaram a fazer parte da área de recomendação de vacina em 2018, quando um surto afetou o País.

Mesmo após registrar dois surtos de febre amarela entre 2016 e o ano passado, o Brasil ainda não atingiu a meta de vacinar 95% da população de áreas de risco contra a doença e agora teme um novo surto na região Sul do País no próximo verão.

A doença que antes estava restrita à região Amazônica, se espalhou por áreas de mata próximas a grandes concentrações urbanas, fazendo com que todos os municípios do Sudeste e Sul passassem a ser considerados pelo Ministério da Saúde como áreas de risco e seus moradores foram orientados a buscar a imunização, mas a maioria dos Estados não alcançou a cobertura vacinal adequada.

O governo vem acompanhando a circulação do vírus pelos chamados corredores ecológicos, áreas de mata onde há deslocamento de macacos, primeiros indivíduos a serem contaminados quando o vírus está circulando em uma determinada localidade.

Conforme os dados do ministério, a situação mais crítica entre os Estados do Sul é o de Santa Catarina, onde a cobertura vacinal está abaixo dos 40%.  Dados do último boletim epidemiológico do ministério sobre febre amarela mostram que de janeiro a junho deste ano foram confirmados 82 casos e 14 mortes pela doença, a maioria deles no sul do Estado de São Paulo e leste do Paraná.

*Com informações do Estadão

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here