Seleção feminina goleia Argentina em estreia de Pia

A seleção brasileira se impõe do início ao fim da partida, domina o jogo e bate a Argentina. (Foto: Mauro Horita/CBF)

No embalo da nova treinadora sueca, a seleção feminina do Brasil teve uma grande noite no Pacaembu, em São Paulo

Com um público de 13.180 pessoas, a seleção brasileira marcou goleada por 5 a 0 diante da rival Argentina, nesta quinta-feira (29), valendo o torneio amistoso Uber Internacional, marcou a estreia da nova treinadora sueca Pia Sundhage, aposta da CBF após anos sob a liderança do técnico Vadão. A boa atuação do time, que pareceu contagiado pela eletricidade da nova chefe, foi reconhecida pela torcida na capital paulista.

Antes da partida, a ex-zagueira Elane, autora do primeiro gol do Brasil em Copas do Mundo, na edição da China em 1991, recebeu uma homenagem no gramado, ao lado da atacante Cristiane – que assim como Marta, não esteve em campo, pois se recupera de lesão. Na ausência da dupla de artilheiras, a veterana Formiga, de 41 anos, e, claro, Pia, foram as mais aclamadas pela torcida.

A treinadora sueca carrega em seu currículo o título de bicampeã olímpica pela seleção dos Estados Unidos e vem demonstrando enorme simpatia em suas primeiras semanas de Brasil. Prometeu aprender português e divertiu as novas comandadas com performances musicais na concentração. Ao pisar no Pacaembu, Pia abriu o habitual sorriso e acenou para os fãs.

Com direito a muitos dribles e um show de luzes com celulares nas arquibancadas, a Argentina, que caiu na primeira fase no Mundial da França, não conseguiu acompanhar a velocidade das brasileiras, que criaram uma infinidade de chances. Com gols de Formiga, Ludmila, Debinha, Érica e um gol contra da zagueira argentina, o jogo encerrou com tranquilidade e sorriso de Pia que ainda acompanhou as atletas e parou nas grades do Pacaembu para tirar fotos com os jovens fãs.

“Este início tem sido impressionante, muito otimista e positivo. E também de muito trabalho nos treinos, tentei explicar minha maneira de jogar, mas sem alterar tanto o jogo delas. (…). Ainda tenho dificuldades com o português, mas corro, grito e sinto que elas entendem o que estou dizendo. Os treinos foram bons e o jogo foi maravilhoso, num estádio fantástico do país do futebol. Acho que foi um bom começo”, disse a treinadora de 59 anos. No domingo, 1º de setembro, às 13, o Brasil volta ao estádio para a final do torneio, diante do Chile.

*Com informações de Veja/ Placar

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here