Decreto proíbe uso de fogo na produção rural por 60 dias

Medida utilizada pelo governador do Maranhão foi adotada também pelo presidente Bolsonaro em combate a incêndios ambientais

Nesta quinta-feira (29), foi publicado no Diário Oficial da União um decreto, assinado pelo presidente Jair Bolsonaro, que suspende por 60 dias a permissão para que o fogo seja utilizado em atividades agropastoris e florestais em todo o território nacional. Com isso, a prática de queima para limpeza do solo e para eliminar resíduos produzidos por madeireiras e serrarias estão proibidas por tempo determinado.

Na terça-feira (27), durante uma reunião dos governadores da Amazônia Legal com Jair Bolsonaro, o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), mencionou que tinha adotado esta medida como parte das ações emergenciais de combate às queimadas no estado.

“Ontem editei um decreto sobre proibição do uso de fogo neste período mais crítico, consolidando a legislação ambiental existente, é claro que o Código Florestal já prevê os limites, e nós criamos uma regra geral, a regra geral é a vedação do uso do fogo e a adoção de práticas sustentáveis para que possamos viabilizar a compatibilização entre necessária preparação das áreas para fins de agricultura com a proteção do meio ambiente. Achamos que esse é um mecanismo útil para que possamos sair desse quadro emergencial”, comentou Flávio Dino.

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles também assina o decreto. Flávio Dino ainda pediu mais cooperação técnica para que os principalmente os pequenos produtores possam ter acesso a outros instrumentos de preparação da terra.

*Com informações do Congresso em Foco/UOL

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here