Parlamentares goianos tiram passaportes diplomáticos para parentes

(Foto: Reprodução | Congresso Nacional)

A emissão do documento fere a legislação e só pode ser expedido em caso de missão especial

Seis deputados federais goianos e o senador Vanderlan Cardoso (PP) estão no grupo de congressistas que obteve passaporte diplomático para parentes, contrariando o decreto o 5.978, que não estende o privilégio aos parentes dos parlamentares, e a portaria do Itamaraty de 2011, que diz que a concessão do passaporte especial para parentes “estará vinculada à missão oficial do titular e, portanto, terá validade pelo prazo da missão”.

Entre os deputados federais que estenderam o benefício a cônjuges e filhos estão Célio Silveira (PSDB), cujo filho tem passaporte diplomático desde 2015 com vencimento em julho desde ano e a esposa, que renovou o documento este ano; dois filhos do Delegado Waldir (PSL) também têm o documento desde 2015, assim como sua companheira. Ao filho de Lucas Vergílio (SDD) o passaporte diplomático foi concedido em 2018.

Fonte: Portais do Senado e Câmara dos Deputados

O deputado João Campos (PRB) solicitou o benefício para sua cônjuge em 2015 e José Nelto (Pode) para a companheira este ano. O companheiro da deputada Magda Mofatto (PR) também tem o documento desde 2018, com o qual o portador é dispensado de filas e visto em alguns países e recebe tratamento menos rigoroso de autoridades. Além disso, a emissão do documento, que custa R$ 257,25, sai de graça para os parlamentares e seus parentes.

Este ano, foram emitidos 155 passaportes diplomáticos para a deputados federais, sendo que a metade, 77, foi destinado a filhos e cônjuges de parlamentares.

Entre os senadores goianos, apenas Vanderlan Cardoso estendeu o privilégio à esposa, Isaura Cardoso.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here