Governo volta atrás na decisão de suspender passe livre para mais de 62 mil alunos

(Foto: Marcos Kennedy | Assembleia Legislativa)

Projeto encaminhado à Alego semana passada beneficiava apenas os alunos do ensino médio que comprovassem renda familiar de até três salários mínimos

O Governo de Ronaldo Caiado (DEM) voltou atrás sobre a proposta de excluir alunos do ensino superior do programa Passe Livre Estudantil. O Projeto de Lei nº 2388/2019, que propõe a reestruturação do programa, foi encaminho na última quinta-feira (2) para a Assembleia Legislativa.

Durante a sessão plenária desta quarta-feira (8), representantes de entidades que representam movimentos estudantis, como União Nacional dos Estudantes (UNES), União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (UBES), Diretório Central dos Estudantes (DCE) da Universidade Federal de Goiás (UFG) e da União da Juventude Socialista (UJS), acompanha a sessão no Plenário da Casa.

O deputado Lucas Calil (PSD) usou a tribuna para criticar o projeto e assegurou que o “passe livre não descrimina ninguém”. Inicialmente, a proposta do Governo era de excluir os estudantes dos ensinos fundamental, técnico e superior do programa. Atualmente o Estado atende 85.075 estudantes, com a readequação, o Estado passará a contemplar 22.657 em Goiânia e região metropolitana, Anápolis e Rio Verde.

“Usam esse discurso de que o programa será expandido em todo o Estado, mas é uma verdadeira mentira, uma verdadeira falácia. O governador Ronaldo Caiado enxerga a juventude e a educação como gasto e não como investimento como tem que ser”, argumentou o deputado Calil ao dizer que o governador é “um péssimo administrador, que não sabe governar”.

De acordo com o projeto, serão beneficiados apenas os alunos do ensino médio, comprovarem renda familiar de até três salários mínimos e ser beneficiário direto ou indireto de algum programa de erradicação da pobreza do Governo. A justificava do Governo é de reduzir os gastos de R$80 milhões para R$39.876,320,00. Com o corte, o programa deixaria de atender 62.418 estudantes com o benefício do transporte.

O deputado Talles Barreto (PSDB), também criticou o Governo por enviar projetos que, segundo ele, extinguiriam o Programa Passe Livre Estudantil. Ele aproveitou para manifestar solidariedade aos estudantes presentes e garantiu que irá “defender para garantir a continuidade do Passe Livre como está”. O Deputado Major Araújo (PRP), também subiu à tribuna para defender a causa dos estudantes que reivindicavam, das galerias, apoio à manutenção do programa Passe Livre Estudantil.

Na sessão plenária, o líder do governo na Casa, o deputado Bruno Peixoto (MDB), dirigiu o seu pronunciamento especialmente a estudantes presentes e mostrou uma emenda aditiva assinada por parlamentares da base do governador Ronaldo Caiado (DEM), com objetivo de “retornar” o Passe Livre a estudantes do Ensino Superior e do Ensino Técnico. “O Passe Livre é um programa importante. É um programa que o governador Ronaldo Caiado está, sim, estabelecendo a manutenção com critérios sociais e nós estaremos promovendo amplamente o debate”, ressaltou o líder. Os deputados pediram vista sobre o projeto.

Para a estudante Maria Luíza Abreu Cruz, 18 anos, estudante de Direito do Centro Universitário de Anápolis (UniEVANGÉLICA), a mudança no programa vai afetar prejudicar muitos estudantes, principalmente, para quem mora em outra cidade.

“Moro superlonge da faculdade, e vou de ônibus. Com o projeto dele eu perco o passe livre e sigo com meia passagem, caso o município não resolva mudar também. Já minhas amigas que moram em Goiânia, tem muito mais com que se preocupar, porque se aprovado vão gastar R$ 8,40 por dia, com passagem porque pagam inteira. Sem contar que os pais dos alunos de fundamental, que também usam o transporte coletivo e vão ter que desembolsar uma grana alta”, reforça a estudante.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here