Redução de 20% nos gastos atendem exigência do governo federal para participar de um eventual plano de recuperação

O governador Ronaldo Caiado (DEM) apresentou na manhã desta quarta-feira (10) o balanço dos primeiros 100 dias de seu governo e entre as principais medidas adotadas pela administração está a reforma administrava, que resultou na redução de 20% dos gastos, além da revisão de contratos e gastos do Estado nos diversos setores. De acordo com Caiado, todas as medidas foram solicitadas pelo Governo Federal para que Goiás se enquadre no Plano de Recuperação Fiscal.

“Dentro daquilo que o governo federal solicitou para que Goiás tivesse espaço no Plano de Recuperação Fiscal nós fizemos a nossa tarefa de casa. O que tem sido difícil é o governo procrastinar o envio do projeto lei ao Congresso Nacional e isso eu tenho queixado”, afirmou o governador ao reforçar que o Estado não pode solicitar nenhum empréstimo “porque está desclassificado junto ao Tesouro Nacional”. O corte de R$ 1 bilhão de incentivos fiscais também foi destaque no balanço.

Na ocasião, Caiado fez questão de reforçar que herdou o Estado com um déficit de R$ 4 bilhões. “Encontramos um cenário de crise financeira e falência dos serviços públicos muito mais grave do que se imaginava. Nesses 100 de Governo trabalhamos pesado, pois assumimos um Estado dilacerado, com dívida de R$ 4 bilhões e salários de servidores atrasados”, destacou.

Questionado sobre impactou desde déficit, que vem penalizando os servidores estaduais que estão sem receber o mês de dezembro, o democrata recuou da responsabilidade e disse que “não existe nenhuma penalização ao servidor; desde que assumiu o Governo o funcionalismo público tem recebido o salário em dia”.

Durante a apresentação do balanço, Caiado também assinou dois decretos; um que institui novo Código de Ética para os servidores públicos e outro que proíbe o uso da foto do governador em repartições públicas. A medida adotada pelo governo cumpre uma determinação da 6° Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Goiás (TJ-GO), que proíbe a fixação de fotografias do governante do Estado em edifícios públicos estaduais.  Segundo a decisão, a imagem do gestor nesses locais “configura como promoção política, ofendendo os princípios constitucionais da moralidade e impessoalidade”.

Apelo na Educação

Com relação à greve dos servidores da Educação, iniciada na última quarta-feira (3), Ronaldo Caiado fez um apelo aos professores das 117 escolas que estão coma as aulas paralisadas para “que reflitam e não levem a greve adiante”. Segundo o ele, as crianças estão sendo as mais penalizadas com a medidas dos servidores.

“As pessoas estão vendo o que estamos fazendo, nós já estamos quitando todos os meses desde que assumi o governo. Já quitamos uma parcela do mês de dezembro com um esforço enorme. Não é justo que essas crianças sejam penalizadas em um ano que teremos a Prova Brasil, um exame muito importante para o futuro desses alunos. Reitero ainda, comparando a situação vivencia pelos agentes da Segurança Pública e outras áreas burocráticas do governo, que todos estão trabalhando tendo recebido apenas uma parcela do salário atrasado’”, disse Ronaldo Caiado.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here