Goiás deixa de receber mais de R$ 460,9 mil para instalação de Centro de Distribuição de Orgânicos

O recurso seria destinado para implantação do Centro de Distribuição de Orgânicos na Centrais de Abastecimento de Goiás. (Foto: Reprodução)

Lucas Vergílio explica que o empenho da verba já havia sido autorizado pela Caixa Econômica, porém, o ex-Governo não assinou documento que autorizava o repasse ao Estado

A Caixa Econômica Federal deixou de repassar uma verba de R$ 460.952,38 ao Estado de Goiás, por meio de uma emenda destinada pelo deputado federal Lucas Vergílio (Solidariedade), para a implantação do Centro de Distribuição de Orgânicos na Centrais de Abastecimento de Goiás (Ceasa-GO).

“O projeto iniciou após os produtores de orgânicos do Estado, relatarem uma dificuldade para comercializar os alimentos. A Ceasa de Goiás é o 4º maior centro de distribuição do Brasil, ou seja, decidimos que ali seria o principal lugar para difundir a cultura de alimentos orgânicos”, explicou Vergílio, sobre destinar o recuso para a Ceasa.

Como a instituição é uma empresa privada, o deputado esclareceu que a emenda não poderia ser destinada diretamente, nesse caso, é necessário que o repasse seja encaminhado para o Estado e, posteriormente, repassado para a instituição.

De acordo com o deputado, José Eliton (PSDB) que era o governador de Goiás na época, não despachou o contrato de repasse, entre a CAIXA e a Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Científico e Tecnológico e de Agricultura, Pecuária e Irrigação (SED), no prazo estabelecido até 31 de dezembro de 2018.

“Destinei minha emenda, o projeto foi aprovado e tudo foi conduzido de maneira correta. Quando chegou hora do Governo de Goiás assinar o repasse da CAIXA para o Estado. O governador, na época, simplesmente não assinou o documento que aguarda o despacho dele e abriu mão desse recurso”, lamentou Lucas Vergílio.

Para o Estado reaver o emprenho, que ainda se encontra ativo, é necessário que o Governo entre com uma ação na Justiça para garantir os recursos. Conforme adiantou Vergílio, ele já teria se reunido com o secretário da SED, Adriano da Rocha Lima, para sugerir a impetração da ação judicial. Em nota, a pasta informou que o caso é relacionado ao antigo Governo, e só os antigos gestores “poderiam explicar melhor os motivos de não terem assinado a liberação do recurso”.

O presidente da Ceasa, João Batista de Freitas Lemes, solicitou da SED na última sexta-feira (25), uma providência urgente, pois, a qualquer momento o repasse pode ser “anulado por parte do Governo Federal, causando assim a definitiva perca dos recursos já garantidos”.

O NewsGO entrou em contrato com o ex-secretário da SED, Tito Amaral, disse que ao se deligar do Governo não vai se posicionar sobre “assuntos relativos à gestão passada. Assim, só se pronunciará sobre aspectos relativos à advocacia”. A equipe também tentou contato com o ex-governador José Eliton, para saber o motivo de não ter assinado a liberação, mas até a publicação da matéria não houve resposta, o espaço segue aberto.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here