Seleção Brasileira está no hexagonal final do Sul-Americano sub-20. Na noite desta sexta-feira, em Rancagua, os comandados de Carlos Amadeu tiveram mais uma atuação aquém das expectativas, mas garantiram a vitória diante da Bolívia por 1 a 0 com gol de Lincoln, em duelo válido pela quinta rodada do Grupo A, e garantiram a classificação para a fase decisiva.

Com o resultado, o Brasil alcança os sete pontos e assume a segunda colocação da chave, assegurando matematicamente a vaga. A Bolívia, por sua vez, se despede da competição sem nenhuma vitória e apenas um ponto somado. Líder da chave, a Venezuela já estava classificada, enquanto a terceira e última vaga fica com a Colômbia, que bateu o Chile na outra partida do dia.

Os demais países que vão para o hexagonal final serão conhecidos em sua totalidade neste sábado, quando ocorre a última rodada do Grupo B, que já tem o Equador definido

Fórmula de disputa

O Sul-Americano sub-20 de 2019 é disputado por dez seleções, divididas em dois grupos. Ao final de cinco rodadas, avançam para o hexagonal final as três melhores de cada chave. Os quatro primeiros colocados do torneio se classificam para o Mundial da categoria, que acontecerá na Polônia, entre 23 de maio e 15 de junho.

Brasil joga mal, mas arranca um pênalti e sai em vantagem

Assim como nas outras partidas da competição, o treinador Carlos Amadeu fez diversas mudanças no time. Aparentemente desentrosados, os brasileiros não fizeram um bom início de partida, e viram a Bolívia assustar o goleiro Phelipe em cabeçada de Melgar.

Na base da individualidade, a Seleção conseguiu um pênalti com Rodrygo, derrubado dentro da área por Walter Anteloc. No melhor estilo Henrique Dourado, o atacante Lincoln deslocou o goleiro e bateu para abrir o placar aos 24 minutos.

Mesmo com o gol, o desempenho brasileiro seguiu aquém das expectativas, apesar da Bolívia pouco ameaçar ofensivamente. Na reta final da primeira etapa, os bolivianos, que precisavam do triunfo para seguir com chances de avançar, foram ao ataque e deram espaço para a Seleção, que desperdiçou boa chance com Lincoln após contra-ataque.

Bolívia pressiona e Brasil se segura

A postura brasileira não mudou no segundo tempo, e a Bolívia foi aos poucos ganhando confiança para se aventurar no ataque. Aos 9 minutos, Joel Fernandez escapou pela direita e cruzou na medida para Sebastián Melgar, livre na área, cabecear por cima da meta.

O susto fez bem para o Brasil, que acordou e voltou a controlar a partida, mas, ainda assim, seguiu sem assustar o rival. Assim, Carlos Amadeu decidiu fazer mudanças no ataque, sacando Marcos Antônio, Marquinhos Cipriano e Lincoln para as entradas de Gabriel Menino, Jonas Toró e Tetê.

As alterações melhoraram o toque de bola da Seleção, que quase marcou o segundo em finalização de Tetê da entrada da área. A Bolívia, em um gás final, pressionou nos instantes derradeiros, porém, o goleiro Phelipe e a falta de pontaria mantiveram o 1 a 0 no placar.