Com direito a gol relâmpago, River arranca empate do Boca na Bombonera em primeira metade da final

No primeiro Superclássico da final da Taça Libertadores, os donos da casa não tiveram festa completa. O Boca Juniors se lançou ao ataque e tentou sair de seu estádio com uma vitória, mas viu o rival River Plate arrancar um empate em 2 a 2 na Bombonera, neste domingo. Ábila e Benedetto fizeram para os anfitriões, e Pratto e Izquierdoz (contra) marcaram para os visitantes.

Desta forma, a decisão da Taça Libertadores ficará mesmo por conta dos 90 minutos a serem disputados no Monumental de Núñez, no dia 24: quem vencer fica com o título. Como não há critério de gol marcado fora de casa na final, qualquer novo empate leva a decisão para a disputa de pênaltis. O River, entretanto, jogará em seu estádio com torcida única, sem fãs xeneizes.

Depois de chegarem a ir para o estádio no último sábado e viverem a decepção do adiamento do jogo pela forte chuva, os torcedores do Boca Juniors fizeram o que já era esperado neste domingo: uma festa histórica. Acostumados a transformar a Bombonera num caldeirão, cantaram forte durante toda a partida, se apertaram nas arquibancadas e impulsionaram o time xeneize na disputa de um Superclássico histórico. Atmosfera digna da final da Taça Libertadores.

O River começou o jogo mais efetivo no ataque e só não abriu o placar por conta das boas defesas de Rossi. Mas a substituição do lesionado Pavón por Benedetto mudou o ataque do Boca na metade do primeiro tempo, e os donos da casa passaram a criar mais. Ábila marcou aos 33, em boa jogada individual, mas o River empatou com Pratto logo após a saída de bola, em uma jogada de oito segundos. Os visitantes tiveram chances de virar, mas foi Benedetto quem apareceu aos 45 para garantir a festa xeneize durante o intervalo.

Apesar da vantagem, o Boca manteve a postura ofensiva no segundo tempo e mostrou estar disposto a abrir maior diferença, pensando na partida de volta em território rival. Mas, em uma jogada de bola parada, o River conseguiu o empate em gol contra de Izquierdoz. A partir daí, os visitantes mostraram mais cautela, acenando para o empate como resultado favorável – enquanto os anfitriões se lançaram de vez no ataque, inclusive com a entrada de Tévez. O Boca pressionou, mas criou poucas chances reais: a melhor delas com Carlitos deixando Benedetto livre, mas o algoz do Palmeiras chutou em cima de Armani.

Heróis nas semifinais contra o Palmeiras, Ábila e Benedetto voltaram a ser protagonistas no primeiro jogo da decisão. Escolhido para ser titular de novo, Ábila fez jus ao posto e marcou o primeiro gol em uma bela jogada individual, enquanto Benedetto voltou a sair do banco – dessa vez no primeiro tempo – para ser decisivo.

Contratação mais cara da história do River Plate, Lucas Pratto conviveu com as críticas na atual temporada pela quantidade de gols abaixo do esperado. Mas, na casa do rival Boca, o argentino fez o que se esperava e foi decisivo. O ex-jogador do São Paulo foi preciso para marcar o primeiro gol em uma jogada relâmpago, aproveitando lançamento de Pity Martínez, e depois pressionou de perto Izquierdoz no lance que resultou no gol contra do zagueiro do Boca.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here